Instituto de Tecnologia lança sistemas para áreas financeira e educacional

Na tarde de quinta-feira, 30 de junho, o Instituto Adventista de Tecnologia – IATec, realizou a cerimônia de lançamento de dois sistemas que serão utilizados pelas áreas financeira e educacional da Igreja Adventista, em território sul-americano. Trata-se do AFS – Adventist Financial System, e do ADEMS – Adventist Educational Management System.

evento_AFS

O AFS centraliza todas as informações financeiras dos sistemas específicos que atendem as diversas áreas da Igreja. Graças a ele, cada setor, com seu sistema específico, pode se preocupar em atender somente o seu negócio, sem preocupações com a parte financeira.

O ADEMS é um conjunto de módulos com visual moderno e intuitivo desenvolvido para rodar na plataforma WEB. O desenvolvimento deste grande projeto unificado, composto de 20 módulos, foi realizado de maneira colaborativa, ou seja, as instituições educacionais de ensino superior e educação básica participaram do processo, fornecendo requisitos, dados e necessidades para a implementação do ADEMS. Além disso, o sistema está sendo implantado em fases que, em pouco tempo, alcançarão todas as entidades educacionais da rede.

Na cerimônia de lançamento dos dois sistemas a liderança do IATec esteve presente, além de todos os colaboradores do Instituto e outros representantes de organizações superiores. Segundo o pastor Gilnei Abreu, tesoureiro associado da sede sul-americana da Igreja, afirmou que “hoje, todas as áreas da Igreja necessitam do suporte da tecnologia. A área tecnológica é essencial e estratégica para o avanço da pregação do evangelho”. O pastor Eliezer Magalhães, diretor geral do IATec, destacou que “a Igreja entende que precisa investir cada vez mais em tecnologia e contar com o que há de melhor nesse setor. Nossa equipe está preparada e equipada para atender essa demanda”. O diretor financeiro do IATec, pastor Davi Contri, mencionou que “há uma história por trás de cada sistema. A Igreja vem crescendo e agora, mais recentemente,com a criação do IATec, os avanços serão ainda mais rápidos para atender as necessidades dos mais diversos setores”.

Aspectos técnicos

Wilson Carlos da Silva, gerente de projetos responsável pelos sistemas voltados para a área educacional, conta que um dos maiores desafios para a criação do ADEMS foi conciliar os interesses de instituições educacionais de oito países em um único sistema. “Cada país tem questões legais, políticas, culturais e financeiras diferenciadas, encontrar um denominador comum foi um grande desafio”.

Wilson ainda destaca que “alguns módulos do ADEMS já estão em pleno funcionamento, como, por exemplo, o módulo de processo seletivo que está sendo utilizado em todas as instituições adventistas de ensino superior no Brasil e no Chile. Além disso, já estamos em fase de implantação, no UNASP, dos módulos de secretaria, gerenciamento de matrizes curriculares, gerenciamento de pessoas, portal do professor, portal do aluno e aplicativos para os dispositivos móveis dos alunos”. Ele enfatiza que, para 2017, a meta é finalizar o controle de pensionato, controle do setor de segurança (biometria) e avaliação institucional.

Já o AFS nasceu para trabalhar em parceria com outros sistemas, afinal a área financeira é necessária em todos os outros setores. Davi Gazioli, gestor do projeto AFS, explica melhor: “Vamos trabalhar junto com outros sistemas e nosso primeiro passo é essa parceria com a área educacional. Qualquer sistema que necessite da área financeira para seu funcionamento terá o AFS como ferramenta para facilitar suas atividades”.

Diego Borges, gerente de desenvolvimento de sistemas do IATec resume bem o motivo para a criação de sistemas como o ADEMS e do AFS, “os sistemas surgem para atender as necessidades dos diversos setores e simplificar o dia a dia de todos os usuários, desde a esfera operacional até a administrativa”.

A cerimônia de lançamento contou ainda com apresentação do histórico e de vídeos sobre os dois sistemas, e foi encerrada com um coquetel para todos os participantes.

Por: Márcia Ebinger

 

Voltar